Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement
  • Aviso: Esta é a minha primeira creepypasta, não sou muito de aprender lendo mas sim colocando em prática. Se não está seguindo a temática e tem algum erro por favor me digam, que então baseado em tuas críticas poderei melhorar.


- Papai papai! Olha isto! Fiz um desenho para você! - Disse Gabriel correndo em direção ao teu pai Miguel.

- Deixe me ver... - Falou Miguel pegando o desenho. - Meu Deus! Isto está perfeito!

- Amor? Você já vai ao trabalho? - Perguntou Jéssica.

- Sim sim! O dever me chama!

Miguel sai de casa com o desenho no banco passageiro e vai ao trabalho.

Não, não aconteceu um acidente, não não... Aconteceu algo proposital.

Depois de um longo tempo trabalhando, Miguel voltou para casa, ele sempre colocava em tua mente o quanto amava a tua família, e como faria de tudo para protege-la. Mas proteger o que? Para que proteger o que não restava? Não havia mais família. Tua mulher o traiu e aquele filho não era dele, o próprio filho o odiava, uma criança de 3 anos capaz de odiar o próprio pai que fez a bondade, que a protegeu, a alimentou, diferente da mãe que deixava a filha sozinha em casa sempre para ir se divertir com as amigas..

Ele entrou em casa, a casa vazia, tão vazia. A tua filha dormindo depois da tua mãe cantar uma música para que ela durma.

- A minha vida é imperfeita.

- Porque diz isto? - Disse uma mulher sentada no sofá atrás dele.

A mulher aparentava ter 1,90. Usava uma roupa social e tinha cabelos negros longos muito belos.

- Você desejou uma vida perfeita não desejou?

- Minha esposa não está aqui, ela saiu com as amigas. Se é amiga dela pode se retirar.

Miguel sabia e sabia muito bem que tua mulher dava as chaves para as tuas amigas para elas dormirem no sofá.

- Não sou amiga de tua esposa, só quero que saiba de uma coisa. Você desejou tudo isto.

- Como assim? Eu só queria uma vida perfeita...

- E é o que tem agora, a vida perfeita não é aquela onde o que vive é um paraíso. A vida perfeita é aquela onde não tem mentiras, onde recebe tudo nú e crú. Como agora, ao invés de tua mulher mentir, ela joga na tua cara que está saindo com as amigas mesmo falando que te ama. E ainda mostrou que lhe traiu. O teu filho te odeia e ele expressa a partir do desenho que ele fez para você.

No desenho havia ele e a mãe dela dançando encima do corpo do pai.

Miguel ficou em silêncio, não sabia o que dizer, era aquilo que ele mesmo desejou e que se realizou. Uma vida perfeita, limpa. Onde ninguém mente para ele, mas que confia nele, o suficiente para dizer aonde vai... Que diz a verdade logo na cara: "Eu te odeio.".

- Eu te dou uma opção meu caro. - Diz a mulher. - O que prefere? A vida que todos consideram perfeita mas que todos mentem para você e escondem as coisas de você, ou, uma vida perfeita onde é tudo jogado na tua cara e ninguém esconde nada de você?

- Eu escolho... A vida perfeita.

- Ótimo, que bom...

A mulher se retira e Miguel vê o que é a vida imperfeita. Aquilo que ele sonhou desde pequeno, onde todos amavam ele, mas no final ele sabia que era mentira.

A esposa dele chega em casa com as amigas.

- Fala ai Miguel! Devia ter visto o beijão que tua esposa deu no chefe do trabalho! - Disseram todas as amigas em tom de sarcasmo.

Miguel sorriu de forma sem graça e foi tomar banho. Após o banho, foi deitar com um sorriso no rosto enquanto o filho xingava o pai com as amigas.

- 3... 2... 1...

A mulher arromba a porta e começa a atirar nas amigas, na esposa e no filho com tuas armas.

- Ah, a vida perfeita, onde tudo é jogado na cara. Inclusive que a culpa é tua.

Os tiros acabaram e a mulher entra no quarto.

- Olá Miguel.

- Acabou?

- Não, porque você ainda tem que pagar pelos teus crimes.

A mulher não estava lá mas apenas ele. Na porta com as armas que mataram a família e as amigas da esposa.

Miguel foi preso e na prisão ele e os demais prisioneiros conversaram do porque ele entrou lá.

- Fala ai... Porque veio para neste lugar? - Perguntou um dos prisioneiros.

- Porque matei minha esposa, filho e as amigas de minha esposa.

- Eu vim parar aqui porque roubei. Minha vida é imperfeita...

- Claro que é perfeita, as nossas vidas são perfeitas.

- Como assim?

- A vida perfeita é aquela que é jogada de forma núa e crúa na tua cara.

- Agora que mencionou até que faz um pouco de sentido. Mas o que pretende fazer quando sair?

- Quem disse que vou sair?...

- Eu digo, não é assim que funciona?

Um crack é escutado.

- Cara?

Miguel havia quebrado o próprio pescoço.

Advertisement