Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement

Parece que há um longo caminho em diante...a estrada parece que não para de se estender, a luz do farol do carro brilha através dos ramos das altas árvores verdes.

E de vez em quando ofensivamente reflete seus olhos.

O Ambiente está cheio de árvores verdes profundas, formando uma floresta em torno da estrada,o único som era do motor do carro. um som tranquilo que deixava o sentimento de segurança.

Embora o passeio o parecia estar indo muito bem os dois passageiros estavam com um pouco de medo a mulher de meia-idade atrás do volante tinha um cabelo curto e castanho, que combinam perfeitamente com seu rosto ela usava uma camiseta verde de gola no formato V e uma calça masculina. brincos de diamantes decorados em cada uma de suas orelhas que estavam bem discretos por causa de seu corte de cabelo.

Ela tinha os olhos profundamente verdes na mesma intensidade de sua camisa e a iluminação parecia torna-los cada vez mais visíveis.

Embora ela estivesse sempre sorrindo, sua expressão facial era tão sombrio e triste que deixa qualquer ser humano intrigado.

De vez em quando ela olhava pelo retrovisor para ver como estava o seu filho.

O Menino não tinha uma aparência normal, qualquer um a primeira vista poderia notar que ele tem algo suavemente diferente, seu cabelo castanho bagunçado para todos os lados e a sua pele pálida quase cinza muito diferente de sua mãe. seus olhos eram escuros, e ele usava uma camiseta longa e branca que o hospital aonde ele estava forneceu para ele.

As roupas que ele estava usando antes estavam muito rasgadas e com várias manchas de sangue. essa roupa não poderia ser mais usada. no lado direito de seu rosto é possível ver alguns cortes juntamente com a divisão de sua sobrancelhas. seu braço direito estava enfaixado do pulso ao ombro devido aos estilhaços de vidro que o atingiu.

Seus ferimentos pareciam ser bem dolorosos quando na verdade ele não sentia nada. ele nunca pode sentir nada. essa é apenas uma das glórias sobre ele.

Ele quando pequeno, ele sofria de uma rara doença que levou ele a ser completamente insensível diante a dor ele nunca se quer chorou com um machucado.

Ele poderia ter perdido um braço que nada sentia, pode até parecer legal mas devido isso ele sofreu um transtorno psicológico.

Ele recebeu vários apelidos insultantes desde de que ele frequentava a escola. antes de ele ser transferido para o centro de tratamento, devido a sua síndrome de Tourette que levava ele a ser e ter tiques nervosos de maneira que ele não poderia controlar.

Ele iria acabar quebrando o seu próprio pescoço se continuasse se contorcendo incontrolável mente com esses tiques nervosos.

As crianças também o provocavam chamando ele de Ticci Toby zombando seus espasmos então ele teve que ser excluído.

Começou a ter aulas particulares. era muito difícil para ele aprender em um local normal com crianças xingado de todas as formas possíveis.

Toby olhou fixamente para fora da janela do carro, Toby Roggers era o nome dele. é a ultima vez que Toby se lembrava de ter andado de carro. foi quando aconteceu um acidente totalmente terrível. ele não se lembra de muita coisa. inconscientemente as mesmas cenas se repetiam na sua mente.

Toby tinha sido o sortudo. em quanto sua irmã não teve tanta sorte. quando ele começou a pensar na sua irmã mas velha por que ele não podia voltar no tempo para ajuda-la. seus olhos começam a lacrimejar.

Toby estava pressionado contra o airbag do carro. sua testa perfurada de cacos de vidro, e suas pernas e quadris imóveis.

Esta foi a ultima coisa que ele se lembrava.

O Caminho para casa continuou parecendo durar uma eternidade. a viagem estava demorando por que sua mãe estava fazendo uma caminho diferente para evitar passar na estrada onde aconteceu aquele acidente.

Finalmente o carro chegou no bairro de sua casa e ambos estavam que prontos para sair do carro e voltar para a sua própria casa.

Era um bairro mais antigo, Toby sentiu raiva e frustração automática ao reconhecer o seu pai quando chegou em casa.

Que não estava nos momentos que ele mais precisava. sua mãe estacionou o carro na garagem.

"Por que ele esta aqui mãe?"

"Ele é o seu pai Toby. Ele está aqui por que quer te ver."

"Por que ele quer me ver então? por que ele não foi me ver no hospital? Por que ele não foi ver a minha irmã antes de morrer?"

"Ele estava bêbado naquela noite. ele não poderia dirigir."

"Ah Sim ele está sempre bêbado!"

Então Toby abriu a porta antes de sua mãe e saiu cambaleando na calçada, Toby entrou na casa ignorando seu pai que estava de cabeça baixa.

Seus pais estavam muito tristes se sentindo culpados por tudo aquilo que aconteceu no passado.

Então seu pai abriu os braços esperando o abraço de sua esposa mas ela também o ignorou. Conny o marido disse com a voz rouca

"Eu não ganhei um abraço de boas-vindas?"

Eliminou umas palavras desagradáveis é continuou caminhado com seu filho apoiado em seus braços

"Ele já tem 16 anos, e já sabe andar sozinho, você nem sabe a idade de seu próprio filho."

Disse para a sua esposa

"Ele tem 17."

"Toby por que você não vai para o seu quarto quando o jantar estiver pronto eu levo pra você meu filho"

"Não, eu já tenho 16 anos e sei andar sozinho."

Toby disse isso com um sarcasmo olhando revoltado para seu pai que nunca esteve presente em nada de sua vida.

Entrou em seu quarto...

CONTINUA EM BREVE...

Advertisement