Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement

The Grimworld-o episódio perdido

The Grimworld foi uma das séries literárias que mais se destacou na minha infância, eu com certeza li todos os livros até os atuais e assisti a série animada (que ainda está para ter um “Revival” sem data definida) completa, o detalhe que fazia certos livros meus favoritos eram os em que a razão de todo o terror eram visuais, sendo representados por monstros, assassinos, espíritos e demônios, mas os que eu realmente amava mais eram os com um nível de violência, sangue, cenas nojentas e aflitivas mais elevado como o livro “motel sinistro”, enfim essa era minha série literária favorita mesmo que algumas histórias me deixassem com medo de certas coisas da vida real, na semana passada eu estava limpando o sótão da minha casa quando encontrei uma caixa marrom velha com a palavra “This Is The Grimworld” escrito nela, dentro dela estavam todos os livros da série que eu tinha, um tsunami de nostalgia me envolveu quando eu olhei para as capas que me tiravam meu sono durante a infância, embaixo de todos os livros havia um DVD numa sacola plástica com a frase escrita em caneta permanente: The Grimworld: pega-pega. Eu sinceramente não me lembrava de ter visto esse episódio, mas como estava cego pelas memórias de infância, não pensei 2 vezes antes de colocá-lo no DVD Player do meu quarto e começar a assisti-lo, ele começou como qualquer outro, mostrando Arthur M. Maia (escritor de série literária e e dos roteiros do desenho) em um cenário Live Action dizendo ao espectador algo relacionado ao conteúdo do episódio, o cenário era de uma floresta que foi montada de verdade e havia pegadas no chão o qual Arthur seguia antes de olhar para a câmera e dizer: brincar de pega-pega é de tirar o fôlego, não é? Bem, às vezes o seu perseguidor pode ter outras intenções quando for te pegar. Então o episódio se inicia, Nick e seus amigos (exceto Sarah) estavam sentados ao redor de uma fogueira contando histórias assustadoras.

Jerry: para com isso Jessica, essa história dá muito medo!

Jessica: vê se cresce, Jerry! Tudo isso é ficção!

Nick: talvez devêssemos fazer outra coisa.

Jessica: bem Nick, já estamos acampando, vamos fazer algo menos assustador mesmo!

Jerry: vamos brincar de pega-pega!

Jessica: ok, está com o Jerry!

Nick: está com o Jerry!

Todos: está com o Jerry!

Jerry: ok podem ir, façam o possível para que o bicho-papão não pegue vocês!

Então todos (exceto Jerry) começam a correr pela floresta, a cena seguinte mostra Nick correndo pela floresta até que ele passa por uma árvore e para ao perceber que o cenário havia mudado, a cor do céu estava um azul escuro e as árvores pareciam sombras por serem tão escuras.

Nick: olá? Tem alguém aí? O que aconteceu com a floresta?

Então quando ele se vira, ele vê um homem alto, pálido, careca, com um terno e gravata vermelha, e sem nenhuma característica facial, ele também estava segurando uma machado de lenhador com lâmina dupla

???: Olá, eu estava te esperando.

Nick: (voz de pânico) quem é você?! E que lugar é esse?! Espera só quando algum conhecido meu me encontrar com você aqui!

???: (rindo baixo) vocês humanos são engraçados, seus conhecidos não existem, você também não existe.

Nick: mentiroso! Todos eles são reais.

???: tem certeza, pois vou te mostrar uma coisa, a realidade é uma reação química composta para fazer com que nós pensemos que a vida em um presente do céu e que ela tem um valor incompreensível, quando na verdade nada do que você vê e vive de bom existe de verdade, todas as nossas vidas são falsas, todos vivemos vidas de sofrimento e dor, mas a realidade nos faz pensar o contrário, afinal, você pode encerrar a vida que você vive agora, já que a realidade te faz pensar que ela tem algum valor.

Nick então passa pela mesma árvore na tentativa de escapar mas quando o faz, ele continua no mesmo lugar, o homem levanta o machado em direção à Nick dizendo: não se preocupe, eu vou encerrar essa sua vida de sofrimento para você.

Até chegar um ponto onde ele tenta golpear o menino, mas eu desliguei a TV antes que ele o fizesse, fiquei encarando a tela por meia hora, fui tomar um banho em seguida, o que deixaria meus vizinhos estressados, pelo menos se eu tivesse alguns, mas eu não tinha vizinhos de fato, tentei ler um livro, nenhum dos meus livros favoritos estava na estande, pois eles não existiam, então fui para um site de aleatório de Creepypastas mas não conseguia parar de ouvir a voz daquele homem dizendo que nada do que eu vejo e vivo é real, nem mesmo consegui encontrar provas para a existência dos meus amigos, eles não apareciam nas fotos que eu tirei com eles, nem na escola, nem em lugar nenhum, a realidade é uma reação química que faz com que pensemos que a vida tem valor, mas eu posso encerrar a minha que não tem valor algum, agora mesmo.

Advertisement