Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement

Olá, me chamo Noah Whitman, mas me chame de Smile Man... A minha história é longa, mas ok. Bom, vamos começar:

Eu nasci em uma família que trabalhava em um circo, minha mãe, Nora Whitman, era, se me lembro, uma bailarina e meu pai, Bob Whitman, era um palhaço. Tudo era maravilhoso até que meu pai decide entrar no mundo das bebidas, desde então, ele passou a chegar tarde em casa, não ir ao circo e mamãe estava preocupada, daí um dia, ela teve a infeliz ideia de conversar com o meu pai.

Ele agiu agressivamente, agrediu mamãe e assim, ela saiu de casa, ficando só eu e papai. Decidi sair de casa (não no sentido de ir embora e deixar meu pai solitário, se bem que era uma boa ideia) tentar algo que me fizesse esquecer de tudo isso, foi então que vi o homem que mudou a minha vida (e não, não sou gay). Ele vestia um moletom amarelo, calça jeans e um tênis. Ah e ele estava de touca, não dando pra ver nada, apenas sua boca, e então ele chegou até mim, e, vendo que eu era criança, me convidou para me mostrar uma surpresinha.

Comecei a questioná-lo e perguntei-lhe várias coisas do tipo: "Quem é você?" "Você não vai fazer nenhum mal pra mim, vai?", mas ele apenas respondeu "Confie em mim" e assim me puxou para uma casa abandonada, não me lembro bem como era a casa, mas que era velha era.

Bom, entramos, e ela cheirava muito mal, tive vontade de vomitar, mas aguentei. Logo ouvi gritos abafados vindo do porão e logo aquele homem desceu até o porão e fez um sinal para que eu também descesse. E lá vi uma das cenas mais perturbadoras da minha vida.

Havia um homem e uma mulher amarrados, estavam chorando de medo, e quando viram aquele maníaco (a partir daqui usarei o termo "maníaco" para diferenciar) começaram a gritar, pedindo por socorro, então, a mulher levou uma facada na barriga e o homem chorava mais e mais alto, tampei meus ouvidos, ainda olhando a cena, até que vi um sorriso sendo feito a corte por aquele maníaco na pobre moça, e depois se dirigiu ao homem e fez a mesma coisa, menos o sorriso, que ele pedira pra mim fazer, eu não entendi o porque, mas eu fiz aquele sorriso sem ter uma cara de "estou com medo, devo sair daqui o mais rápido possível", senti como se minha sanidade tivesse indo embora, pois, eu em sã consciência, não faria aquilo. Então eu passei um tempo com ele, e nesse tempo fui perdendo cada vez mais a sanidade, até que eu fui para casa.

Quando cheguei, meu pai estava ajoelhado com sua cabeça apoiada em uma mesa e uma garrafa de cerveja do seu lado, tentei confortá-lo, mas ele partiu pra ignorância, me derrubou, quebrou uma garrafa de cerveja vazia na minha cabeça, me chutou, enfim... Ele me agrediu até eu quase não conseguir andar.

Então, eu em um ataque de raiva, parti pra cima do meu pai com uma faca, sei até da ordem em que eu o esfaqueei:

Pescoço

Barriga

Barriga

Pernas

Depois fiz um sorriso a corte nele. Pois bem, aí uma pessoa que passava por lá chamou a polícia, infelizmente não havia nenhuma outra saída, então fui pego e mandado para um hospício, onde conheci vários seriais killers, então planejei sair de lá, então fui buscar as ferramentas necessárias, depois de fugir, voltei a Lakewood (esqueci de mencionar a cidade onde moro, mas tudo bem) e continuei com meus assassinatos.

(Ah e não farei desenho de como me visto e nem mandarei foto, mas tudo o que eu digo é: Eu visto roupas marrons, camisa, calça e uma bota, minha arma é um facão e tenho uma máscara com um sorriso e olhos formados por costuras)

Advertisement