Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement

Baseado em distúrbios mentais.

Quelonio

Era 26 de março de 2015, eu estava em minha cozinha, às exatas 2:00 da manhã. Meus pais já estavam dormindo, mas eu decidi ficar acordado e assistir televisão até mais tarde. Decisão essa que eu me arrependeria pelo resto de minha vida.

Passando pelo canal Cultura, acabei notando que estava passando o icônico programa deles, o Quintal da Cultura. Achei estranho o horário em que este programa para crianças estava passando, mas decidi assistir mesmo assim. Algo estava diferente, estava tudo escuro, uma noite tão sombria que cheguei até a me perguntar se tinha algum cenário. A única coisa que brilhava na tela era a brasa de uma fogueira, iluminando um chão de terra e mato sujo lotado de vermes. Junto ao chão, a fogueira iluminava os rostos de Ludovico e Dorotéia, mas... magros, com uma aparência doente e perturbada. Enfim, me toquei que eles pareciam estar em alguma espécie de ilha, passando fome.

De repente, é ouvido um barulho de mato chacoalhando. Ludovico e Dorotéia olham rapidamente para o breu, e o barulho se repete. Ludovico pega uma tocha e à acende com a chama da fogueira, correndo em direção ao barulho com os últimos resquícios de energia que o restam. A tocha revela que a causa dos sons era Quelônio, o jabuti, que enquanto se movia para procurar comida, foi atraído pelo brilho da fogueira. Dorotéia, consumida pela fome, corre até o jabuti de forma agressiva. Sendo lento, Quelônio não pôde escapar. Dorotéia tenta agarrar a cabeça de Quelônio e quebrar o seu pescoço com força bruta, mas ele se escondeu dentro de sua casca quase inquebrável. A mulher fica insanamente irritada e deseperada por não poder o pegar.

"Não! Não! Esta era nossa última chance de enchermos nossas pelotas! Eu não posso morrer aqui, eu não posso!" - Dorotéia grita

Então ela tenta com toda a sua força enfiar a mão dentro da casca de Quelônio. O jabuti quer ser solto, e morde os dedos de Dorotéia com toda a sua potência muscular.

"A mordida do animal pode chegar a 600 kg, suficiente para quebrar ossos humanos. Ela é mais forte que a de um leão, cuja mordida chega a 400 kg de força, segundo um estudo de professores de universidades dos Estados Unidos."

Os gritos de Dorotéia são ecoados por toda a ilha, e Ludovico se assusta. Ele Larga a tocha e em um ato de desespero, segura Quelônio por trás e o puxa.

"NÃO FAÇA ISSO! VOCÊ VAI ACABA-"

Então os dedos de Dorotéia são arrancados. Sangue se espalha pelos rostos de todos, e os gritos de agonia se tornam ainda mais altos. Ela rola pelo chão e Ludovico se desespera pelo que acabou de fazer, largando o jabuti no susto. Ele então começa a respirar com força, seu temperamento subia e sua adrenalina também. Tomado pelo ódio, Ludovico pega uma estaca de metal inundada por gasolina pertencente à um avião que havia caído ali e a acende na fogueira. Ludovico pega o jabuti, e enfia a estaca de metal pela parte de trás de seu casco. O jabuti sai do esconderijo com as veias saltadas, e o seu sangue fervendo pelo corpo devido ao calor. O sangue em sua boca borbulha enquanto Quelônio grita suas últimas palavras.

"OXENTE!"

Terminado por Ludovico agarrando sua cabeça com toda a força e esmagando seu crânio. O colocando na fogueira para assar, e comendo de sua carne.

Eu desliguei a televisão apavorado por aquilo, não consegui dormir e nem comer desde então. Senti que precisava desabafar, mas ninguém acreditaria, por isso escrevi esta mensagem. Tomem cuidado com o que seus filhos assistem na TV.

Advertisement