Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement
Screenshot 20200426-153248

Não direi meu verdadeiro nome, então pode me chamar de Luís, eu estou escrevendo isto, pois andaram acontecendo coisas estranhas me trouxeram problemas psicológicos. Acho que estou. Não não não eu sei que estou sendo observado por alguém, ou por algo, neste momento. Isto já vem acontecendo a algum dias, estou recebendo algumas fotografias estranhas em minha casa. Acho melhor contar está história do início.     Sou um homem de meia idade que trabalhava como caixa de farmácia. Eu estava prestes a fechar a loja, quandi ouso um barulho e percebo um pequeno flexe de luz  vindo da pequena praça que ficava a frente da farmácia. Não fui louco  de ir lá ver o que era, então ignorei e fui direto para casa.      Quando cheguei em casa, tomei um banho e fui preparar um jantar, para mim e meu filho, Leo, ele era uma criança um pouco diferente das outras, pois tinha um leve grau de esquizofrenia, mas tirando isso ele era como qualquer criança, e era muito gentil. Você deve estar se perguntando. " Onde está sua esposa?". Bem eu nunca cheguei a ficar com alguém, Leo é adotado, e acho que estou sendo uma ótima figura materna e paterna, mesmo ele não tendo uma mãe, apenas uma coisa me incomoda sobre Leo, apesar de sermos bem próximo o orfanato nunca me contou como ele foi parar lá, já tentei perguntar para ele, mas ele diz que não se lembra.      Era no meio da noite quando Leo apareceu no meu quarto chorando dizendo que havia algo em seu armário, bem ele era esquizofrênico, uma hora ou outra ele acabaria vendo coisas estranhas de vez em quando. Então Leo dormiu na minha cama, naquela noite.     Costumado a acordar mais cedo, por causa do trabalho, tentei fazer o mínimo de barulho para não acordar Leo e fui fazer o café da manhã. Era sábado então Leo não iria para a escola. Bem, coloquei o café da manhã na mesa e subi para acordar Leo, mas ao invés disso, resolvi ir ver se tinha algo no armário dele, e sim tinha algo ali, havia uma fotografia de Leo assustado na cama, bem, obviamente isto me deixou preocupado, então resolvi chamar a polícia para revistar o local e ver se não havia ninguém por ali, mas antes deixei Leo na casa dos avós, para ele não ficar assustado e também porque os avós o amam.


Bem após a polícia ir imbora, fiquei um pouco aliviado de saber que não havia nada e ninguém lá, mas a foto ainda me preocupa, pois nem os policiais conseguiram explicar isso e me disseram que se acontecesse era para eu sair de lá Imediatamente, eu perguntei o porquê, mas disseram que era confidencial.       Mais tarde naquele mesmo dia Leo chegou  em casa e me contou tudo o que havia feito na casa de seus avós, ele me disse que foram passear no parque e uma moça havia o entregado um envelope e disse que era para mim, eu, obviamente, estranhei, pois não me lembro de nenhuma mulher. Então levei Leo para a cama  e fui ao meu escritório ver o envelope, quando vi o que tinha dentro, congelei, eram fotos de meu filho com meus pais, fotos minhas conversando com os policiais e por último, uma foto minha dormindo, aquilo estava apontando uma arma na minha cabeça. Ouvi alguém batendo em minha janela fui ver o que era, primeiramente não vi nada, mas quando olhei com mais atenção vi algo  no outro lado da rua, escondido entre os arbustos, como uma câmera de foto, e estava tirando várias fotos, corri atrás daquilo, mas já havia sumido.      Depois daquela noite peguei meu filho e fomos para a casa dos meus pais. Se passaram alguns dias e está tudo indo muito bem, sai da farmácia por um tempo, nunca mais vi uma única fotografia daquelas.     Na noite deste mesmo dia estava dormindo quando ouvi alguém batendo na minha porta, a luz do corredor estava ligada, pensei ser meu filho pedindo para dormir comigo, mas quando me aproximei da porta uma foto foi passada por baixo dela e pude ouvir alguém correndo, quando peguei aquela maldita foto, era a mesma foto de meu filho dormindo que eu recebi a alguns dias atrás, só que ele estava com um círculo e um x vermelho em seus olhos, tronco e boca e encima da foto estava escrito" ele o quer ele o terá ". Corri para o quarto do meu filho, ele não estava lá, consigui vê-lo nas  costas de um estranho entrando na floresta, corri o mais rápido possível, mas quando cheguei... Ele estava nas costas de uma mulher máscarada com uma máquina fotográfica e atrás deles um monstro enorme, aquilo não tinha rosto e transmitia um barulho, que parecia chiados de televisão, através de meus ouvidos que me deixou paralisado, a mulher máscarada chegou bem perto de mim e tirou uma foto  e a guardou em meu bolso.       Bem foi assim que eu perdi a única pessoa que eu amava e aquela foto e aqueles chiados me trouxe alguns transtornos, como um grau alto de depressão e paranóia. Eu podia ter queimado aquela foto, mas algo em mim não me permitiu, aqueles malditos chiados ainda tomam conta de meus ouvidos, mesmo que bem sutilmente, a quela mulher, eu sei que ela ainda está me observando, perseguindo, o mais longe que eu for, ela ainda estará lá para registrar a minha desgraça e me lembrar daquele dia horrível. Neste momento, estou em meu escritório escrevendo está mensagem em meio computador, tem um velho revólver ao meu lado e nele só há uma única bala, ela trouxe isto para mim a algumas horas atrás, eu sei o que ela quer que eu faça agora, e eu sei que ela vai garantir que aconteça está noite, ela está atrás de mim agora, como eu sei disso, bem, eu consigo ver seu reflexo no meu munitor, ela está com sua maldita câmera apontada para mim, sim eu poderia atirar em sua cabeça, mas sei que algo, algo que aparece bem rapidamente no canto de meus olhos, irá garantir que isso não aconteça. Bem, veja pelo lado bom, pelo menos agora eu sei o que tinha atrás dos arbustos daquela pequena praça em frente a farmácia, de ter uma foto minha naquele chão imundo e morto, assim como eu. !!!BANG!!!

Advertisement