Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement

Eu não sei.
Já chega.
Eu não entendo: toda vez que eu tento pôr um monstro aqui, não consigo.
Eu já tentei de tudo, mas toda vez que eu faço, eu erro e tento novamente.
Cansei de Creepypastas. Eu ganho dinheiro, mas eu não sinto que mereço essas centenas que ~me dão por cada escrita.
Mano, eu já fiz tantas creepys, mas quando elas foram boas?
Eu entrei aqui para escrever terror, e escrevi comédia.
Talvez, eu tenha que fazer algo de terror mais real...

Mãe! Mãe! Vem aqui, que quero lhe mostrar algo!
Então seguro sua cabeça,
bato e bato na velhinha,
Ela a rezar,
Eu a gravar,
Ela sofre, sofre, até que ela finalmente fecha os olhos e não abre mais.
Terminei a gravação e mandei para minha publicadora.
Me chamam de louco. Eles que são loucos.

Pego minha faca e vou até a editora de carro.
O segurança, na portaria, me para.
Eu paro o guarda.
Ele é burro,
ignorante,
desconhecedor e vítima da própria ignorância perante superior.

Mas ele pouco importa, o que importa é o meu editor.

Eu estou lá dentro.
Os covardes se desesperam
. Eu mato muitos e chego no meu editor.
Ele recusa publicar meu vídeo mais uma vez.
Eu ameaço,
ele publica,
mas pouco importa mais,
eu sei que não para fazer algo além de me agradar.
Eu seguro a cabeça dele.
Eu forço.
Forço.
Forço.
Quebrou, que nem brinquedo.

Ainda não senti satisfação.
Nada me tornará satisfeito.
Para atingir a luz, mais muitos outros serão sacrificados primeiro.


Esse poema foi encontrado na mesa do editor Fernando Vieira da Vieira Co. Lá, houve um massacre promovido pelo escritor Raimundo Esclari, de 31 anos. Se o leitor não for da ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) ou de orgãos imediatos a ela, ele deve entregar este arquivo para um funcionário autorizado e beber a água que o receptor pedir.

11 de março de 2024, delegado Laurêncio Silva e Mendes.

Autoria[]

Cordialmente, Dpiii se estiver irritado comigo, berre aqui 22h11min de 25 de março de 2023 (UTC)

Advertisement