Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement
IMAGINE_ISSO-_HISTÓRIA_DE_TERROR_-_LENDA_URBANA_-_CREEPYPASTA_-_PODCAST

IMAGINE ISSO- HISTÓRIA DE TERROR - LENDA URBANA - CREEPYPASTA - PODCAST

Imagine isso.

Mais de 900.000 pessoas são relatadas como desaparecidas todos os anos só no Brasil. Você ouviu esse número corretamente. Não acredita em mim? Pode pesquisar: mais 900.000 pessoas. Um número impressionante de 2500 pessoas por dia. Agora, vamos ser honestos; 60% dos relatados como desaparecidos acabam sendo encontradas com relativa rapidez e não estou falando de cadáveres encontrados flutuando em rios ou corpos desmembrados aparecendo em alguma mata fechada, desse número apenas 200.000 continuam desaparecidas por ano e ainda sim é um número assustador.

Das 900.000 pessoas que são relatadas anualmente, cerca de 650.000 delas são crianças. A maioria das crianças desaparecidas tende a cair em uma das duas categorias: fugitivos rebeldes que eventualmente retornam para casa com segurança ou sequestros de familiares. Esse ocorre quando a mãe ou o pai foge com os pequenos por causa de uma disputa doméstica ou divórcio.


No que diz respeito aos adultos, uma grande parte dos casos de desaparecimentos tipicamente envolvem pessoas que sofrem de abuso de drogas ou álcool. Estes viciados têm uma tendência a morar em ruas da cidade, desaparecendo de seus amigos e famílias por dias enquanto eles bombeiam seus corpos cheio de álcool e narcóticos ilegais. Um número surpreendentemente alto de relatórios são sobre idosos que sofrem de demência ou Alzheimer. Você ficaria surpreso com a frequência com que eles vagam para longe de seus cuidadores e se perdem. Normalmente, não demora muito tempo para a polícia para localizar o velho desorientado e trazê-los de volta para o lar de idosos.

Dado esses fatos, vemos o número de pessoas (crianças e adultos) que são sequestrados por estranhos é realmente relativamente pequeno. São cerca de 150 destes casos de abduções diariamente no Brasil.


Agora imagine isso.


Você era um artista - um pintor que se especializou no impressionismo.

Durante toda sua vida você amou a arte.  Aos 12 anos você viu uma revista em uma cafeteria  que tinha essa foto do quadro de Edgar Degas, “As dançarinas de azul”. Você ficou hipnotizado pelas cores, pinceladas, pelo modo que as garotas da pintura contorcem seus corpos. Ao seu ponto de vista artístico elas nem parecem bailarinas, é mais uma representação sólida de uma brisa suave. E agora você tinha a certeza que queria criar algo tão deslumbrante e fascinante como essa imagem.

Você estudou os maiores artistas: Renoir, Degas, Cézanne e é claro, Monet. Quando você completou 15 anos, começou a fazer aulas de artes depois da escola na faculdade comunitária, mas nunca compartilhou essa informação com ninguém – nem com amigos ou familiares próximos. Você tinha medo do que eles poderiam dizer. E se eles rirem de você? E se eles dissessem que suas pinturas eram desleixadas ou feias? E se eles não entendessem esse estilo de arte na qual você criaria sua própria “dançarinas de azul” algum dia?

Então você escondeu sua paixão pela arte renascentista de todos que conhecia. Sempre que você terminava um quadro, você jogava no lixo porque ver sua arte no meio do lixo da esquina era melhor do que a possibilidade de ouvir seus amigos fazendo piada deles.

Você queria estudar arte na faculdade, mas a sociedade lhe disse que só os idiotas fazem isso. Em vez disso, você optou por um diploma de engenharia. Seus pais estavam felizes. Você se formou na escola e conseguiu um emprego onde se sentou em um cubículo e fez 55.000 dólares por ano. Você passou o dia todo a meditar sobre como seria acordar todas as manhãs e não fazer nada além de pintar. Você tentou acompanhar sua arte, mas nunca teve tempo. Sempre que tinha chances seu patrão lhe pedia para trabalhar nos finais e quando você tem um tem para si mesmo, você estava cansado demais para fazer qualquer coisa, além de assistir TV ou navegar na web. Você começou a odiar-se por ser tão sem espessura - por não perseguir a única coisa na vida que sempre fez você se sentir bem. 

Você caiu em uma depressão.

Imagine isso.

Estima-se que 1 a cada 10 adultos sofrem de depressão. Isso significa que há pelo menos 20 milhões de pessoas no Brasil  que se sentem perdidas. Quem se sente sem esperança - que sentem que o mundo seria um lugar melhor sem eles e você era uma dessas pessoas.

Você usava uma máscara na frente de seus amigos e familiares. Essa parte era fácil. Você escondeu sua paixão durante toda a vida; Você poderia esconder sua depressão também. Ninguém no trabalho podia ver o quanto você estava machucado, mas quando você chegou em casa você deitou na cama e você chorou. Você pensou em derrubar uma garrafa inteira de aspirina, mas estava com medo do que as pessoas diriam se você sobrevivesse. Você ficou na beira de sua banheira com uma extremidade de um cinto em volta do pescoço eo outro preso à haste de metal de sua cortina de chuveiro, enquanto você pesava os prós e contras do suicídio. Você passou horas surfando na Internet, visitando fóruns, procurando uma maneira de salvar a si mesmo. Você chegou até a postar perguntas anonimamente, pedindo ajuda.

Então você obteve o conselho que tanto  procurava - no Reddit. De todos os lugares, um Web site famoso por gifs de gatos estúpidos e memes idiotas. Ele veio na forma de um comentário em um tópico que você fez sobre o sentimento suicida. Você não viu o nome de usuário do comentarista, na verdade, estava tão animado depois de ler o seu conselho que fechou a janela do seu navegador antes de verificar de onde veio. Não importava quem fosse na vida real, você estava tão preocupado que suas palavras foram enviadas direto para você de seu anjo da guarda, vigiando do céu.

Tente encontrar uma saída criativa, demonstre o que sente na sua arte, disse seu salvador na Internet. Eu peguei a pintura como um meio de canalizar minha depressão. Sempre que estou me sentindo mal, pego um pincel e pinto. Ajuda a servir como uma distração fantástica.

Então imagine isso.

Você aceitou o conselho de seu anjo da guarda e decidiu começar a agir. Você desistiu do suicídio, chamou sua mãe e seu pai e disse-lhes que você os ama. Na manhã seguinte você acordou e se dirigiu para a biblioteca, onde passou o dia inteiro lendo sobre seus artistas favoritos, todos aqueles artistas que você tinha idolatrado em sua vida. Por horas você olhou para as fotos de suas obras e isso fez você se sentir jovem de novo. Foi então que você tropeçou em um livro com uma foto da “Bailarinas de azul” e você ficou impressionado, assim como naquele momento que viu pela primeira vez aos 12 anos. Foi nesse momento que você decidiu largar seu emprego e seguir seus sonhos.


Seus pais não estavam felizes, mas eles entenderam quando você falou sobre sua depressão. Eles sempre pensaram que a arte era apenas um hobbie ou passatempo ameno porque nunca tinham vistos uma de suas pinturas acabadas. Você juntou toda coragem que conseguiu para mostrar uma pintura que você preparou para eles. Afinal era mais do que apenas uma imagem para você. Era seu coração, Seus sonhos - era um pedaço de sua alma. Foi melhor do que você esperava. A pintura fez seu pai sorrir e sua mãe até se emocionou. Como você não tinha emprego, eles permitiram que você voltasse a morar em seu quarto de infância para ser seu estúdio até descobrir as coisas.


E imagine isso.


Você voltou para a internet para obter conselhos, só que desta vez você não estava procurando alguém para conversar. Você queria dicas sobre mistura de cores e assistência na profissão como um iniciante. Você começou a publicar fotos do seu trabalho em vários fóruns procurando orientação, você ganhou mais do que esperava. Você começou a receber elogios - totais desconhecidos dizendo o quanto amavam sua arte.

Algumas pessoas até encomendaram alguns de seus quadros. Você vendeu sua primeira pintura por US $300 para um casal recém-casado em Minnesota, que disse que sua arte seria perfeita para sua casa nova. Era surreal. Tudo que você sempre quis fazer foi pintar e agora as pessoas estavam pagando por isso.

Você abriu uma loja online, iniciou um blog e até criou um site com links para todas suas contas nas redes sociais. Você começou a acumular seguidores no Facebook e Twitter. Algumas de suas pinturas foram até blogadas na internet milhares de vezes. Uma revista entusiasta da arte ainda fez referências de suas obras. Não estava na capa, mas era uma honra apenas  para se sentir melhor.


Eventualmente, você ganhou dinheiro suficiente para sair da casa de seus pais e comprar um pequeno apartamento. Você certamente não era rico, mas você conseguiu acordar e não fazer nada além de pintar todos os dias, como você sempre sonhou.

Uma manhã, você abriu os olhos para ver uma pintura com acabamento meio comissionada olhando para você do outro lado da sala. Raios de sol da manhã brilhavam através de sua janela, caindo sobre uma pintura parcialmente concluída. Ele brilhava a luz do dia. Você pensou o quão perdido você estaria se não fosse por aquele anjo da guarda na internet que o convenceu a pintar sua tristeza.

Você sorriu para si mesmo - a primeira vez que você sorriu em muito tempo. Finalmente você estava se  sentindo feliz.


Mas imagine isso.


Conforme você ganha admiradores também começa a atrair críticas - pessoas que questionam como ou porque você chegou onde estava em sua carreira. Alguns eram apenas inveja. Eles queriam o que você tinha. Muitos deles eram outros artistas que faziam suas obras a mais tempo mas nunca receberam parte da atenção que você recebeu. Você achava esses haters idiotas. Afinal, não era como se suas pinturas estivessem visitando museus de todo o país. Você estava quase no topo, mas eles não podiam se sustentar com sua arte, então eles odiavam você.

Alguns de seus outros haters não eram artistas. Eles eram trolls que não conseguem ver outra pessoa feliz, então eles fizeram o melhor para derrubá-lo. Usavam contas fakes para enviar mensagens de ódio através do Twitter apenas para chamar sua atenção e ter seus nomes citados. Eles disseram que seu trabalho era “porcaria”, “plágios”, mas quando eles disseram que não estavam insultando apenas suas pinturas, eles também estavam insultando você… Lembre-se, sua arte era um reflexo do seu coração, dos seus sonhos, um pedaço da sua alma e essas desculpas e desculpas são o que seres humanos fadados ao fracasso que se escondem atrás de uma tela do computador gostam de fazer para se sentirem menos lixo do que realmente são.

E então aconteceu algo estranho. Você não deixou de ouvir elogios, eles ainda estavam lá, mas quase abafados de certa forma - sufocados e afugentados por uma minoria vocal que só queria ver você falhar.

Você lutou para provar a si mesmo - pintar algo que faria com que os mais excêntricos, com muita zelândia, mudassem de ideia sobre você, quanto mais do seu coração você jogava em seus trabalhos, mais severas as críticas se tornavam. Quanto mais você se aproximava de criar suas próprias “bailarinas de azul” mais mensagens de ódio era vomitado contra você

Isso começou a te consumir. Era tudo que você conseguia pensar.


Imagine isso.


Hackear não é tão difícil como em Hollywood. Você não precisa se trancar em um quarto escuro com um  supercomputador se alimentado de cheetos e refrigerante para aprender algumas coisas.  Você nem precisa saber como burlar firewalls ou descriptografar algum código. Tudo que você precisa é paciência e a compreensão das pessoas, mesmo trolls anônimos ficam confortáveis e em algum momento dão informações pessoais sem sequer pensar nisso.


Agora Imagine isso

Os haters continuam vindo até você. Toda vez que você publicou uma foto do seu trabalho ou anunciou outra venda no Facebook, lá estavam eles, Surgindo como uma erupção de puss cheio de herpes. Um comentarista em particular realmente começou a te perseguir. O nome do seu usuário era Dark_Painter97 e todas suas observações feitas em seu blog de arte eram rudes e rancorosas. “sobrevalorizado”, “Sem originalidade” e “Sem inspiração” eram seus comentários. Você podia o ressentimento fervendo a cada comentário que ele deixava em suas postagens.


Você ficou cansado de seu Cyber-Bullying. Parte de você queria ver como esse  guerreiro de teclado parecia na vida real, então sem pensar você clicou em seu nome de usuário. O link dirigiu você até a página de perfil do seu blog, mas não havia fotos carregadas nele. No entanto, uma legenda na seção “sobre” chamou sua atenção.

Dizia: Me sigam no twitter @Dark_Painter97


Você verificou sua conta no Twitter para ver se esse idiota anônimo havia publicado fotos de si mesmo. Ele não tinha e sua foto de perfil era apenas um personagem de desenho animado estúpido, mas percebeu que ele era muito ativo em sua conta. Um outro adolescente citava ele com bastante frequência com piadas e memes, esse usava um nome real e foto de perfil muito clara, eles deviam ser bons amigos. Você assimilou que o ‘97’ em “Dark_painter97” era provavelmente uma referência ao ano em que seu atormentador nasceu. Isso fazia sentido. É preciso uma certa quantidade de imaturidade e tempo livre para viver dessa forma na internet. Você realizou uma pesquisa no Facebook com o nome desse amigo e o encontrou com bastante facilidade. Sua página de perfil tinha funções de privacidade desabilitadas, por isso não era difícil de usar a engenharia social.


Esse adolescente tinha só cerca de 125 amigos no Facebook, comecei a filtrar apenas os meninos que tivessem nascido no ano de 1997. Demorou menos de uma hora visitando vários perfis até encontrar algo que realmente chamou sua atenção. Era um menino que se encaixava na conta. Ele era um branquelo samaritano que parecia nem tomar sol. Tudo no seu rosto irritava você; o filtro de nariz de cachorro na foto, o par de óculos da Oakley de camuflagem. Você queria tanto esmagar seu sorriso com a cara no teclado.


Então você olhou na seção de informações de sua página e sentiu uma lâmpada na sua cabeça lentamente se iluminar.


Gosta de: Jogos, Animes e Pinturas.

Ok, gostar de pinturas não o torna necessariamente culpado.

Aniversário: 26 de junho de 1997

Dupla verificação.

e é claro…

Siga-me meu blog de arte: @DarkPainter97


Xeque mate. arrombado.


Você o encontrou. Você sabia agora quem era o pequeno troll insuportável, onde ele morava e onde ele estudava o ensino médio. Em pouco mais de uma hora e meia você descobriu muita coisa, mas ainda queria saber mais sobre ele. Mas como conseguiria mais informações? De acordo com seu Facebook ele mora a um estado de distância. É um caminho muito longe para ir atrás de alguém. Você disse a si mesmo que dirigir cruzando o estado com um único propósito de gritar com um garoto era uma loucura, mas você não conseguia se conter. Era como se alguém tivesse tomando controle do seu corpo. Antes que você percebesse, você já estava na Rodoanel a caminho da cidade do adolescente e seu apartamento.


Você parou para comer um hambúrguer quando chegou em seu município e verificou algumas informações no Facebook sobre os pais do garoto. Encontrar o endereço da casa foi fácil. Era cerca de 4 da tarde quando você chegou até sua casa. De acordo com as informações coletadas, a mãe eo pai trabalhavam até às cinco, então supôs que eles não estariam em casa. Você conseguiu ver o pirralho através da janela mexendo no computador, provavelmente deixando outro comentário depreciativo sobre a última foto que postou no blog ou assistindo alguma pornografia. As coisas estavam funcionando perfeitamente para você. Você chegou muito longe para não fazer nada agora, então você parou o carro em frente a garagem e bateu na porta da frente.

Você poderia dizer que ele ficou confuso quando atendeu a porta. Ele não tinha idéia de quem você era, o que era engraçado. Se você tivesse passado tanto tempo assediando alguém na internet, achou que pelo menos o reconheceria se estivesse frente a frente na porta da sua casa.


Você abriu a boca para falar. Você apontou um dedo acusatório para ele, mas o pequeno rosto dele te deixou muito, mas muito irritado. Você apagou.


Quando você recupera seus sentidos, você estava de pé sobre ele no cômodo da entrada. Agora o olhar arrogante no rosto do menino tinha desaparecido. Em vez disso, parecia que uma bomba de cereja explodiu nele. Seu nariz tinha sido mergulhado na polpa e seu olho esquerdo estava totalmente inchado. Você ficou surpreso consigo mesmo. Como aconteceu? Você não era uma pessoa violenta. Na verdade, nunca antes tinha planejado causar ao pirralho qualquer tipo de dano físico.


Você olhou o relógio na parede; eram 4:30. Como o tempo passou tão rápido? Quanto tempo você tinha até que os pais dele chegassem em casa? As preocupações começaram a chacoalhar sua mente:

Assalto e agressão de menor, roubo, quem sabe talvez até culpado por tentativa de assassinato? Se eles te pegarem, você passaria pelo menos os próximos 15 anos na prisão com certeza. Adeus carreira artística. Então você teve outro pensamento. Se você simplesmente fugisse, o merda poderia ter te reconhecido ou reconheceria se continuasse tanto tempo em seu blog. Então você entrou em pânico.


Você colocou seu corpo inconsciente sobre seu ombro e o levou para seu carro. A sorte deve estar ao seu lado porque ninguém te viu sair. Você o deixou no seu porta-malas e afastou-se da garagem o mais rápido que pôde antes de acelerar e fazer sua fuga.


Apenas 250 pessoas são sequestradas por estranhos anualmente no Brasil.

Agora, esse garoto era um deles e estava trancado na parte de trás do seu carro.


Imagine isso.


Uma a cada 10.000 pessoas são assassinadas anualmente no Brasil. Não soa um número tão alto?Mas é verdade, não acredita em mim? Pesquise: Uma a cada 10.000 pessoas. Calcule essas estatísticas sobre uma vida útil de 75 anos, isso significa que nesse período há uma oportunidade de pelo menos 2 vezes alguém tentar matá-lo.


Agora imagine isso.


Você levou o garoto para dentro do seu apartamento. Já era tarde, então você conseguiu contrabandear-lo até seu andar sob a cobertura da escuridão. Pelo o que você sabe, ninguém o viu. Você estava seguro por um momento, mas estava com estômago com sensação de desconforto e frio pelo que havia acontecido. Você se lembrou da sensação quente e confusa que teve após ler o conselho do seu anjo da guarda e tinha certeza que a mistura de emoções que estava agora formando em você era exatamente o oposto. Você se perguntou qual tipo de orientação que um anjo anônimo da internet lhe daria dessa vez. Mas o que você faria? Deveria escrever um tópico no Reddit sobre isso?

Assalto e sequestro de menor?


A criança estava sangrando profusamente do pedaço mutilado de carne pendurado no rosto onde costumava ser um nariz. Você o colocou em sua banheira para evitar que sujasse todo o chão do seu apartamento enquanto pensava em como corrigir a situação.


As lágrimas começaram a cair de seus olhos quando você percebeu aonde tinha se metido. Você não era criminoso; Você era um artista. Mas os artistas não agridem seus críticos e os sequestram.

- Desculpe - Você disse ao garoto, cujo corpo, como uma pilha quebrada de carne pulverizada estava imóvel na sua banheira - Eu nunca quis que isso acontecesse.

Você temia que ele morresse no seu banheiro antes que você pudesse reunir coragem e chamar uma ambulância. Você sabia que cometeu um erro terrível e precisava se apropriar da situação, mas teve medo de ir para prisão.


Entre seus soluços você ouviu um gemido. Você olhou para ver a criança começar a se mexer. O olho que não estava inchado fez contato direto com o seu. Sua esclerótica era tão vermelha quanto o pênis de um cão e você podia ver que ele estava se esforçando para se concentrar, mas estava olhando diretamente para você. Os gemidos do adolescente transformaram-se em algo que se assemelhava a um baixo gargarismo - quase como se estivesse se afogando no sangue que tinha acumulado na parte de trás da garganta. Mas você percebeu que ele não estava se afogando, ele estava rindo, fazendo com que sua preocupação deixasse lugar a confusão. Ele forçou alguns grunhidos em um esforço de dizer algo, sua voz assobiando através dos dentes quebrado, fragmentos de ossos irregulares que você tinha quebrado com os punhos.


-Vo-você é… aquele artista de merda… não é? 


Sua risada de gargalhadas começou de novo e você entendeu que era direcionada para você.

Ele venceu. Com nada além de um modem de internet e um laptop, ele descartou sua carreira de sucesso e ele também sabia disso. Você ia passar o resto da vida na prisão. Com esse pensamento, uma raiva ardente inchou dentro do seu peito. Você não merecia o que esse merda tinha feito para você. Tudo que você queria fazer era arte, pintar sua própria “bailarinas de azul”. Esse lixo tinha tirado isso de você.


Não houve apagões uma segunda vez. Você estava plenamente consciente do que estava fazendo quando montou em seu corpo e começou a socar o rosto dele. Com cada golpe você podia sentir os estalos de ossos rachando debaixo de seus dedos. Você agarrou seus olhos como um animal atingido pela raiva e em seguida, forçou suas mãos para dentro de sua boca e puxou seu maxilar, estendendo de suas dobradiças. E quando seus braços ficaram doloridos, você se levantou e deixou suas botas dar um amasso no crânio do pivete.


Imagine isso.


É necessário 200 kilos de pressão para esmagar um crânio humano.


No momento em que você terminou, a cabeça do adolescente parecia um prato de purê de batata vermelha. Uma a cada 10.000 pessoas são assassinadas no Brasil todos os anos e agora, esse filho cujos cérebros estava sendo drenado na banheira foi mais uma nova vítima dessa estatística.


Você lavou o sangue das mãos na pia e tentou se acalmar um pouco. Depois de olhar para o cadáver sem cabeça em sua banheira, percebeu que estava um pouco assustado consigo mesmo, mas não porque acabou de matar um adolescente a sangue frio. Era a sensação de ecstasy sobre seu corpo que lhe preocupou. Parecia incrível, como se tivesse vivido uma fantasia. Não sexualmente - sim pisoteando o crânio do miúdo, você se sentiu capacitado e incrível, mas agora tinha um novo problema em mãos.


Não precisou ser perito criminal para saber que manter um corpo na banheira não era uma boa ideias, mas se livrar não era tão simples quanto jogar o lixo para fora. Você era um artista, e os artistas tem mente criativas. Então você fez o que mentes criativas fazem. Você foi criativo.


Imagine isso.


Em média, 75 pessoas são presas anualmente no Brasil por terem relações sexuais com cadáveres. Não acredita em mim? Pesquise, 75 pessoas. Desse número de presos por fazer amor com mortos, quase metade deles trabalham em mortuários, onde todos nós acabaremos um dia. Dado esses fatos, pode-se assumir que casas funerárias são um ímã para necrófilos. Faz sentido quando você pensa sobre isso. Afinal, parece ser o trabalho dos sonhos para quem se entrega a esse tipo de fetiche.


Muitos psicólogos acreditam que apenas uma pequena fração dessas pessoas realmente tem atração sexual por cadáveres. A maioria se envolve em necrofilia devido a ansiedades sociais, é o medo da rejeição ou a incapacidade do corpo sob pressão faz com que algumas pessoas desviem para esse caminho. Os cadáveres não podem rir do tamanho do seu pênis, ou reclamar que acabou rápido. É por essa razão que 94% dos necrófilos são homens.


Assim como qualquer fetiche sexual, a necrofilia tem sua própria pequena comunidade obscura na internet. Se alguém pesquisar o suficiente, encontrará fóruns de usuários que trocam fotos anonimamente e contam histórias de suas últimas conquistas sexuais. Bem, eu digo anonimamente, mas como expliquei antes quando se trata da internet, as pessoas tendem a ficar um pouco confortáveis e distribuem informações pessoais sem pensar nisso.


Então imagine isso.


Você abriu seu notebook e fez uma pesquisa. O Google é mágico; em poucos minutos você estava examinando um fórum cheio de amantes de cadáveres. Uma hora ou duas de navegação e você tropeçou em um fio que despertou seu interesse. Em um tópico fora do assunto, Um comentário, Um dos pervertidos afirmou visitar regularmente um local abandonado a não mais de cinco milhas do seu apartamento antes de engajar em suas maiúsculas relações sexuais mórbidas.


Depois de escanear seu histórico de comentários, você viu que ele sempre se gabava de como seu trabalho lhe fornecia um fluxo interminável do que ele chamava “Bonecas reais do amor”. Você descobriu que ele era um coveiro que realmente gostava de um tempo extra sozinho com os cadáveres que ele deveria estar embelezando para funerais.


Você criou uma conta e enviou mensagens para ele, alegando ser uma garota gótica de 19 anos que estava realmente interessada em assistir pessoas praticando necrofilia. Quando ele pediu uma confirmação você enviou fotos da irmã de um amigo. As pessoas são crédulas quando querem acreditar em algo e esse cara realmente queria acreditar que alguém estaria interessado em pervertidos que fodiam corpos mortos.


Ele lhe enviou uma foto do seu rosto. Quando você pre-formou uma pesquisa de imagem reversa, você foi direcionado diretamente para sua página do Facebook. O idiota até lhe enviou a sua própria foto de perfil. Sua página do Facebook realmente te confirmou sua profissão de coveiro e até mesmo listou o nome da casa funerária em que trabalhava. Você sorriu para si mesmo quando depois de pesquisar sobre o lugar, você descobriu que lá tinha um crematório. No entanto, havia algo mais que você descobriu sobre ele depois de escavar algumas informações - Algo que você achou muito útil.

O pervertido também tinha uma família - uma esposa e um filho de 11 anos.


Você conversou tranquilamente com o coveiro durante a noite, encorajando-o a falar sobre as coisas nojentas que ele faz com os cadáveres recém-chegados. Ele disse que queria te foder em cima deles. Acontece que ele era um dos poucos necrófilos que não tinha medo de se apresentar. Este doente estava realmente atraídos por cadáveres. Você contou a ele todas as coisas desagradáveis que você sabia que ele queria ouvir. Quando você pediu uma foto explicita dele, ele ficou feliz em enviar. A foto que ele enviou era um corpo feminino inteiramente nu com seu rosto claramente visível no quadro.


Vocês dois fizeram planos de se encontrarem no necroterio depois de algumas horas para um pequeno ménage at trois com uma modelo de 24 anos que havia morrido recentemente por uma overdose de cocaína. Por algum motivo, ele sempre parecia animado para lhe mostrar como ele suas “bonecas reais do amor” faziam. Você assumiu que fazia parte do fetiche.


Você apareceu na casa funerária na noite seguinte com uma pasta manila cheia de evidências.

Ele desmoronou e começou a chorar quando você explicou que ele tinha sido enganado.

Você apresentou as fotos que ele enviou e explicou que tinha screenshots da conversa da noite anterior, salvos e apoiados. O coveiro lhe implorou para não mostrar para sua esposa. Aparentemente, ela o pegou uma vez em cima de uma garota de 17 anos que morreu em um acidente de carro. Sua esposa estava grávida no momento e só continuou com o coveiro por causa do bebê a caminho, mas tinha sido clara que se descobrisse que ele estava fazendo novamente, ela chamaria os policiais e tiraria o filho dele para sempre. Ele tentou fazer você se afastar assinando um cheque, mas você recusou o suborno. Você não veio pelo dinheiro.


Você explicou que precisava dele para desaparecer um corpo. O plano era simples. A casa funerária tinha um crematório e tudo que precisava era de acesso a ele. O coveiro relutantemente concordou em ajudá-lo em troca de manter seu segredo revoltante em segredo. Os dois dirigiram-se para seu carro e levaram o saco em dupla que continha o corpo do Dark_Painter97. Você pediu para que o coveiro o direcionasse ao crematório, então ele acenou com a mão.


- O crematório não é aqui, mas levarei o corpo até lá.


Você lançou um olhar suspeito e informou que se ele estivesse planejando ir à policia, suas evidências estariam na caixa de mensagens da sua esposa no dia seguinte.


- Não se preocupe, você está segur. O garoto será cinzas até o final da noite.

Ele perguntou como o adolescente morreu, então você contou sua história.

- Uau, eu recebo assassinatos de vez em quando, mas isso foi especialmente brutal. - Ele respondeu após ouvir seu terrível conto.

Quando você terminou, você agradeceu por sua ajuda e começou a sair.

- Não, eu que agradeço. - Disse ele.


Este comentário te deixou intrigado. Não foi até depois que você começou a ir para seu carro no estacionamento que você percebeu que o coveiro estava se preparando para seu fetiche.

Você lhe entregou um novo brinquedo de brincar - uma “verdadeira boneca do amor” e ele iria se divertir antes de enviá-lo para o incinerador.


Imagine isso.


Aproximadamente 58% da população do país tem acesso a internet. Isso significa que aproximadamente 100 milhões de brasileiros estão conectados à rede mundial. Desses 100 milhões mais da metade tem perfis ativos em sites de redes sociais, O que faz com que o número de pessoas que usam Twitter, Facebook, Snapchat, Tinder e outros redes durante a semana chega  a 56 milhões.


Você é um desses 56 milhões. Então, o que você faz após realizar um assassinato? Você corre para as redes sociais para tentar esquecer os últimos dias. O problema era que a imagem de Dark_Painter97 caído com o crânio esmagado continuava piscando na sua mente. Pior ainda, você não podia deixar de imaginar o que o coveiro pervertido faria com o cadáver parcialmente decapitado que você levou.


Seus pensamentos voltaram para seu anjo da guarda. Você não voltou a entrar na sua conta do Reddit,  após esse herói da internet te salvar da depressão. Não era necessário. Até algumas horas atrás você acreditava ser relativamente feliz. Mas o dia foi traumático, então você decidiu procurar seu superman para ver se ele ainda estava no ciberespaço, procurando por almas perdidas para ajudar.


Demorou um pouco até você lembrar a senha, mas uma vez que realizou o login, navegou no site para encontrar sua postagem de suicídio antigo que tinha postado. Você releu sua postagem e lembrou-se do quão escuro e perdido você parecia na época. Você percorreu para os comentários procurando seu anjo da guarda, a única pessoa no planeta que parecia entender você.


O comentário ainda estava lá e você começou a lê-lo, esperando que você novamente pudesse tirar algo útil do conselho sábio que salvou sua vida, mas você parou no meio do caminho. Você leu algo que fez seu coração quase subir a garganta, porque pela primeira vez você leu o nome de usuário do seu anjo da guarda.


Dark_Painter97


Você esfregou os olhos e leu novamente só para ter certeza que não estava alucinando, mas o texto no monitor não mudou. Você percebeu que se sentia fisicamente mal.


Aproximadamente 56 milhões de brasileiros ativos em sites de redes sociais e você assassinou o único que lhe deu motivo para você acordar pela manhã.

Era absolutamente ridículo. Como um ser humano pode ser tão simpatizante e compreensivo um dia e no outro tão desagradável? Era como um sonho ruim. Você sentiu-se como se uma guerra por sanidade estivesse sendo travada na sua cabeça. Parte de você queria rir da ironia da situação. A outra parte queria chorar. Você acabou passando a noite toda olhando para uma pintura inacabada encostada na parede de seu apartamento, sem ao menos lembrar sobre o que você estava pintando. Isso importava? Era como se todos nesse maldito mundo estivesse mentindo para você.


Foi assim até a manhã que a realidade começou a retomar. Talvez o sol tenha ajudado a espairecer o nevoeiro que envolveu seu cérebro desde a sua revelação, seja lá qual fosse o motivo, você não se sentia mais indefeso. Você percebeu que todo esse tempo, você estava usando seu anjo da guarda como muleta - apoiando-se em suas palavra de sabedoria sempre que se sentia que não pudesse ficar sozinho. Infelizmente, descobriu você que estava adorando um ídolo falso. Na realidade, o seu campeão tinha sido um idiota o tempo todo, apenas outro invejoso e ciumento que só se preocupava em ver sua queda. A parte doente dentro de você sabia que Dark_Painter97 era apenas um iceberg. Esse estranho sentimento de êxtase voltou novamente até você, mas desta vez não te fez sentir-se assustado.

Isso fez com que você se sentisse imparável.


Imagine isso.


Toda tempestade começa com uma pequena gota.

Contemple isso por um segundo. É um pensamento louco, mas é a mais pura verdade. O fato é que uma força tão mortal e perigosa pode vir de algo inocente e inofensivo.


Quando você começou a bisbilhotar em torno da conta do Twitter do troll irritante, você não tinha ideia onde isso te levaria. Não tinha como prever que em poucas horas você estaria entregando seu cadáver sem cabeças para um coveiro com fetiches necróticos. Também não havia como antecipar os outros assassinatos que você cometeria posteriormente, mas depois que descobriu que você matou seu anjo da guarda, você sentiu que não fazia sentido simplesmente ignorar o resto de seus críticos.


Então você os procurou e os fez pagar por todos comentários ofensivos e dolorosos que fizeram alguma vez para você. Você começou com aqueles que só viviam a um dia de carro de distância. Como um predador que caça sua presa, você os perseguia por alguns dias, aguardando o momento perfeito para atacar. Suas mortes eram geralmente agonizantes. Você certificou-se de que todas e cada uma de suas vítimas sofressem dolorosamente. O coveiro estava na sua mão e você ainda teve a habilidade de chantageá-lo. Ele fingia frustração com a situação, mas vocês dois sabiam que ele estava feliz com o arranjo. Depois da terceira ou quarta “boneca do amor” que você levou para ele, ele começou a fazer pedidos.


“Eu realmente apreciaria se o próximo que você trazer não tivesse dentes”


Você entretez seu fetiche bizarro. Afinal, não importava o que acontecia com os corpos que você estava trazendo, desde que se tornassem um pilha de cinzas pela manhã. O coveiro tinha uma rede de pessoas como ele, Humers de coveiros hardcore de todo o país. Muitos também trabalhavam em casa funerárias e tinham acesso a seus próprios crematórios. As coisas começaram a se tornar uma bola de neve sem controle enquanto você tirava férias para outro ponto critico.

As pinturas se tornaram secundárias para você. Já não se emocionava quanto aos assassinatos.

Você continuou pintando e publicando na internet como um meio de encontrar mais pessoas para matar. Você já não se esforçava pela perfeição em sua arte, as “Dançarinas de azul” tinha se afastado mais longe que nunca. Você começou a cometer erros de forma de atrair mais opiniões negativas. Depois de um tempo, você nem se importou se o que as pessoas estavam criticando era genuíno ou não. Ninguém estava seguro.


Mas mesmo uma avalanche atinge a base da montanha.


Um dia, um detetive apareceu no seu apartamento e começou a fazer perguntas. Ele estava tentando conectar o desaparecimento de duas pessoas que você havia matado. Você podia dizer com o olhar em seus olhos que ele ainda não lhe considerava um suspeito, mas sabia que ele era inteligente. Seria uma questão de tempo antes dele colocar as peças do quebra-cabeça e perceber que você era o responsável.


Então imagine isso.


Você embalou seus pertences, esvaziou sua conta bancária e deixou a cidade naquela noite.

Você não queria apodrecer na prisão, então você mudou para o outro lado do país e mudou de nome.

Com um novo corte de cabelo e um par de lentes de contato coloridas começou uma nova vida.


Em alguns dias você lê sobre você nas notícias - Um pintor que se aproximou e que de repente desapareceu sem deixar vestígios. 900.000 pessoas são dadas como desaparecidas por ano e agora você era uma delas. Alguns dias depois, você era o principal suspeito nas mortes que o detetive lhe questionou. Os policiais nunca mais o encontrarão. Você era muito inteligente para eles.


Mas havia um problema. As pessoas ainda precisavam morrer. Acabar com o resto da sua vida simplesmente não era uma opção, mas sabia que a policia estava à procura de um pintor, então você entrou em um novo tipo de arte, que certamente atrairia sua parte justa de crítica - a escrita.


Dados seus motivos reais, você achou que terror era um gênero apropriado para publicar.

Você criou novas contas de redes sociais sob seu nome falso e até mesmo usou fotos de cara que você estudou no ensino médio que morreu em um acidente de moto mas ainda tinha um perfil de memórias.

As pessoas pareciam curtir as histórias e creepypastas que publicava na internet e em pouco tempo você começou a se popularizar. Seus contos foram lidos em blogs, traduzidos para outros idiomas e até recebeu milhares de visualizações quando foram narrados no youtube.


Agora que seu trabalho se tornou bem conhecido, você começou a fazer pequenas coisas que incentivaram as críticas. Você usou sentenças de execução e cometeu alguns pequenos erros gramaticais na esperança que alguém tentasse corrigi-lo. De tempos em tempos, você mesmo escrevia sobre suas experiências em segunda pessoa, sabendo o quão polarizador pode ser para seus leitores.


Você ficou conectado com o coveiro em sua rede social e sua rede de trabalhadores perpétuos de funeral. Sua armadilha havia sido traçada e agora tudo que você pode fazer é aguardar a chegada de críticas de pessoas que não podem resistir em tentar destruir seu trabalho, e logo eles vieram.


Como insetos noturnos para uma lâmpada, as pessoas foram atraídas pelas falhas que você criou na sua escrita. Eles os apontaram, sob a capa do anonimato, mas as m´scaras que eles usavam eram tão frágeis quanto papel machê.


Não há mais privacidade - nenhuma maneira de permanecer sem rosto. Se alguém quiser pesquisar o suficiente, eles podem aprender tanto sobre você como seus amigos mais próximos e mais queridos.


Então, deixe-me fazer uma pergunta. Uma pergunta na qual eu tenho certeza que muitos de vocês irão rir uma vez que perceberam de quem é essa história, uma pergunta pra você levar muito, muito a sério na próxima vez que você for postar algo na internet.


Você ainda está imaginando isso?

Advertisement