Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement


o observador[]

bom, vamos começar pelo o começo, meu nome é Diogo, tenho 17 anos e queria te relatar e avisar sobre uma possível criatura ou entidade, eu faço um curso de culinária que dura mais ou menos de 18:20 até 22:30, e toda vez eu vou de ônibus e volto a pé com um atalho que leva para a minha casa, esse atalho é uma mata escura que possui mais estrada do que mata, eu costumo toda vez ir para a casa dos meus amigos e passar 30 minutos ou 1 hora lá depois do curso, mas outro dia, meu amigo infelizmente foi para o hospital e não fui para a casa dele, o problema é que ele normalmente me deixava no atalho de bicicleta e ia embora, e como ele estava no hospital, teve que improvisar e pegar um caminho desconhecido, e nesse caminho tinha um pouco de mato e árvores, e quando estava quase chegando na rua da minha casa encontrei um diário de uma menina chamada "Sophia" que tinha 9 anos, o diário não falava nada de mais, no diário contava que Sophia amava brincar com seus amigos "Lucas" "Nicolas" e "Levi" naquela mata que eu estava, mas exatamente no dia 18/4/2009 Sophia começa a escrever coisas sobre um tal de "Homem dos olhos assustadores" , eu por algum motivo quis chamar ele de "o observador" e a partir dessa dia ela nunca mais escreveu uma página que não menciona o "Homem dos olhos assustadores" e a cada página que ela escrevia, parecia que ela ficava mais desesperada, com medo e insana, chegou um momento que a letra dela estava quase ilegível, e a parte que mais me deixou com assustado e intrigado foi a última página, que dizia

"19/11/2009 EU NÃO AGUENTO MAIS, O HOMEM DOS OLHOS ASSUSTADORES ME SEGUE PARA ONDE EU FOR, NÃO IMPORTA AONDE ELE SEMPRE VAI ESTAR PERTO, PARECE QUE ELE ESTÁ ME CAÇANDO EU ESTOU ESCONDIDA EM NA MAIOR ÁRVORE DESSE MATO, ELE ESTÁ, ELE VAI ME ENCONTRAR, ELE VAI ME MATAR, EU NÃO QUERO MORRER, EU NÃO QUERO MORRER, EU NÃO QUERO MORRER, EU NÃO POSSO MORRER, MEUS PAIS VÃO FICAR PREOCUPADOS, EU NÃO QUERO MORRER! POR FAVOR SE ALGUEM ESTIVER LENDO ISSO, ME AJUDE, POR FAVOR, PELA AMOR DE DEUS, ME AJUDE, EU NÃO QUERO MORRER, EU NÃO Q........."

A foto do observador

quando eu terminei de ler, meu coração começou a bater muito forte, eu sai correndo daquela mata e cheguei em casa, contei para os meus pais, mas eles não acreditaram, no outro dia eu peguei aquele mesmo caminho, mas dessa vez eu guardei o diário dentro da minha bolsa, mal sabia que essa iria ser a pior ação da minha vida, no meio do caminho, eu escutei um barulho de galho quebrando, no inicio achei que era um guaxinim ou uma cobra, mas depois escutei passos humanos, eu não estava sozinho, mais alguém estava comigo, depois de alguns segundos, escutei passos na mata, e estava mais perto e alto, até que eu olhei pro lado e congelei, fiquei paralisado e assustado, vi uma figura totalmente escura e com apenas os seus olhos visíveis depois de alguns segundos com aquela criatura me encarando, eu bati uma foto e corri o mais rápido que pude, corri tão rápido que até o diário caiu da minha bolsa, cheguei em casa desesperado, mostrei a foto para os meus pais, eles congelaram que nem eu, ligaram para a policia mas nada da policia achar a criatura que eu batizei de "O observador" aqui está a foto tirada da criatura (está um pouco borrada pois estava tremendo de medo):

A foto do observador na minha rua

depois disso comecei a ver a criatura em todos os lugares, não consegui dormir por semanas até que em um dia especifico, estava voltando do curso e vi aquela criatura so que ela estava na frente da minha casa, fiquei mais desesperado do que nunca, comecei a pensar coisas tipo "e se ele entrar na minha casa?" "e se ele fazer algo com os meus pais?" mas a criatura continuou me encarando por uns 3 ou 4 minutos até que ela deu um grito extremamente alto e começou a correr atrás de mim, eu corri muito, mas muito rápido mesmo, estava com muita sede, mas não parei de correr, eu sabia que eu estava correndo pela a minha vida, e que se eu parasse eu ia morrer, mas o grito que aquela criatura deu foi tão alto que acordou um dos vizinhos, que foi ver o que era, o observador percebeu que o vizinho estava indo para a rua ver o que foi aquele grito, logo a criatura correu para se esconder em uma mata que estava perto dele, desde esse dia eu nunca mais vi aquela criatura de novo, antes dela correr atrás de mim, eu tirei uma foto dele, aqui está a foto:



se passou meses e eu já tinha achado um emprego de... eu não me lembro o nome dessa profissão então vou apenas chamar de "zelador de dutos de ventilação", eu fiquei trabalhando lá por um bom tempo, até que me um dia, eu encontrei ele de novo, eu jurava que eu nunca mais ia encontrar ele de novo, mas lá estava ele me observando com seus olhos macabros, percebi que ele estava tentando chegar até a mim, mas não conseguia, nesse meio tempo tirei uma foto dele, porque eu tenho tantas fotos dessa coisa? bom, é porque eu estou reunindo várias fotos dessa entidade para mostrar para a policia e talvez a policia investigar essa criatura, mas voltando para o relato, depois que eu tirei a foto, a criatura percebeu que eu estava tentando exibir ela para o todo mundo, e ela deu aquele mesmo grito alto, e começou a se agarrar na entrada de ventilação, eu obviamente me afastei dessa coisa, um tempo depois, aquela entidade conseguiu entrar nos dutos e se rastejou rapidamente atrás de mim, eu me rastejei tão rápido que eu ralei o joelho 4 vezes e até hoje tenho a cicatriz no joelho, fiquei me rastejando por uns 20 minutos sem parar procurando uma saída, as vezes eu despistava o observador, mas ele sempre me achava, e eu rastejava cada vez mais rápido pela a minha vida, até que 20 minutos de agonia e desespero depois, eu finalmente encontrei a saída do duto de ventilação, eu corri mais rápido do que quando eu me rastejava para a delegacia, mostrei todas as provas que eu tinha da existência dessa coisa para os policiais, e eles acreditaram, o meu chefe também acreditou e me deu uns dias de folga, e agora estou esperando a policia capturar o observador.

O observador na ventilação

Todos os itens (554)

2
A
Advertisement