FANDOM


Antigamente eu e meu avô, que morava em um sítio, gostávamos de caçar  ‘’coisas sobrenaturais’’ nas florestas e obviamente não achávamos nada, mas era uma brincadeira divertida. Por precaução ele sempre carregava consigo uma garrucha, acho que era só pra me deixar mais com medo. Em seu sítio ele morava sozinho e criava porcos e galinhas, as vezes eu ajudava a dar comida para eles, naquela época eu tinha 11 anos, hoje com 17 sinto muita falta do meu avô e das coisas legais que nós fazíamos, até aquela coisa maldita tirar ele de mim... Em uma de nossas brincadeiras de procurar coisas sobrenaturais, já estávamos desistindo e depois de uns 20 minutos decidimos ir embora até que vimos uma criatura que deixou tanto eu como ele com um medo absurdo, eu até hoje não vou tirar aquilo da minha cabeça, era uma criatura parecida com um humano, exceto pelo fato de não possuir órgão genital, ela tinha mais ou menos 2 metros de altura, tinha chifres como um bode, sua face era mais ou menos como a de um cordeiro, ela abriu a boca para bocejar revelando enormes dentes afiados, além de ter garras afiadas, seus olhos eram completamente brancos, sua pele era esverdeada e de textura meio peluda meio escamosa, acho que fizemos barulho, pois a criatura nos notou, saímos correndo dali antes que ela nos visse, ainda estava muito assustado com aquele ser, meu avô disse que nunca viu algo do tipo, ficamos um pouco apreensivos com isso porém eu decidi tentar esquecer, a noite caiu e eu e meu avô estávamos nos preparando para dormir, quando escutamos um guincho desesperador, e barulho de algo caindo no chão, meu avô desesperado pegou sua garrucha e foi lá pra fora ver o que houve, eu assustado o acompanhei, quando de repente nos deparamos com aquela mesma criatura de antes, ela havia matado um porco e estava se alimentando dele, meu avô apontou a arma para a criatura e disparou, o tiro acertou-a em cheio no peito, a criatura gritou e caiu para trás, eu não sei como mas ela conseguiu ter força para sair correndo dali, meu avô disse para eu esperar na casa, que ele ia atrás da criatura, eu corri para a casa e meu avô correu para a floresta, porém, no caminho, eu tive a ideia de seguir meu avô e quando ele já estava entrando na floresta, disparei em direção a ele. Ele deu uma procurada mas não conseguiu achar o ser e decidiu voltar, ele me viu e perguntou o que eu estava fazendo ali, eu tentei me explicar mas na mesma hora a tal criatura simplesmente pulou em meu avô o derrubando, ele no susto acabou atirando para cima e afugentou alguns pássaros do local, eu assustado e com lágrimas no rosto fugi dali, tudo o que escutei foi os gritos de meu avô, eu corri para a casa e me tranquei, chorando e muito assustado, tentei olhar pela janela e vi a criatura saltando pelas árvores, eu acabei desmaiando de medo. Quando acordei, já eram por volta umas 7 horas da manhã, quando lembrei de meu avô e a criatura, corri para o local e me deparei com a cena que jamais vou esquecer: meu avô com um enorme arranhão no peito, roupas todas rasgadas, sangue por todo lado e seu rosto pela metade.de

pois do ocorrido eu caí em prantos e decidi chamar um vizinho conhecido do meu pai, contei toda a história a ele e como eu era uma criança, obviamente não levou a parte da criatura a sério e achou que algum urso atacou meu avô. Chamamos a polícia e o corpo do meu avô foi retirado, a área foi isolada e eu fui mandado de volta para minha cidade natal onde vivo com meus pais.

Até hoje não sei o que matou meu avô, ouvi dizer que o sítio foi vendido 1 ano depois por um casal de idosos,só espero que eles não tenham o mesmo destino de meu avô, mortos na mão daquela maldita criatura

= =

Gtman

= =

Foto tirada em um sítio que hoje está abandonado, ao que parece um casal de idosos morava no local, quando o homem, reconhecido como Alberto Gonçalves de Sousa, foi até a floresta armado quando uma criatura atacou o cachorro da família. Sua esposa, reconhecida como Emília Gonçalves Neto, estava assustada atrás do marido com uma câmera, provavelmente para registrar a tal criatura. O marido insistiu que ela esperasse do lado de fora da floresta, depois de uma discussão, a senhora ficou do lado de fora. Um grito foi ouvido da floresta, a senhora provavelmente correu para ver o que havia ocorrido.

Essa foto foi tirada, os dois foram encontrados mortos

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.