Wiki Creepypasta Brasil
Advertisement

Eu Moro nesta cidade desde que me entendo como gente, cheguei aqui quando tinha quatro anos junto com os meus pais, minha mãe Helena, e meu pai Carlos.

Minha cidade não é nem um pouco grande, ela esta situada no estado do Mato Grosso do Sul, a uns 80 quilômetros da capital, muito mal temos uma rota de comércio, aqui possui apenas três escolas, um cinema, e um shopping.

Eu estava no 2° ano do ensino médio, ia fazer 16 em agosto, tudo era ótimo em minha vida, tinha um ótimo núcleo de amigos e uma paixão juvenil por uma garota que conheço desde criança chamada Elisa, ela tinha uma pele bem clara, olhos azuis turquesa e um cabelo loiro comprido, não fazia sentido ela morar aqui, uma cidade pequena como Lagoa Verde, ah... este é o nome da minha cidade aliás, e o meu é Guilherme, não me apresentei antes porque tenho um certo problema com isso.

Tudo em Lagoa Verde era pacifico, não havia quase nenhuma emergência lá.

Até aquele maldito dia mudar tudo...

Tudo começou em um dia comum, não tínhamos aula pois era uma data festiva da cidade em celebração aos 120 anos de sua fundação, minha mãe me acordou cedo naquele dia, acordei de mau humor pois queria dormir até tarde, ela me convenceu a ir junto dizendo que me compraria dois mangás novos no shopping, chegando lá, eu comprei os novos volumes de uma série de fantasia e ação shounen, estava sentado em um banco na praça de alimentação tomando um milkshake e lendo as minhas histórias japonesas, quando eu vi alguém acenando para mim e se aproximando, era Elisa, fofa e bonita como sempre, ele se sentou comigo e começou a puxar papo comigo, eu fiquei surpreso por ela ter vindo falar comigo do nada, estava nervoso no começo, mas isso foi quebrado quando ela voltou sua atenção para meus mangás.

- Uau você também lê "Another World:Zero" ?!

-Sim, você também gosta dessa história?!

-Sim, amo muito a trama de Hiromi Yamaro, e me identifico com a Aiza Tenshiro!

Conversávamos muito e riamos, mas do nada... ouvimos um estrondo extremamente alto do lado de fora do shopping, fomos correndo para averiguar, uma multidão de pessoas se acumulou na entrada do shopping, não conseguimos ver muita coisa devido a acumulação, algumas pessoas entravam correndo em panico para dentro do edifício, ainda sem entender nada, eu e Elisa, nos esprememos entre as pessoas para sair, minha mãe estava parada observando o meio da praça que ficava do outro lado da rua, perguntei a minha mãe oque estava acontecendo, e ele olhe para mim e diz que ouve algum tipo de explosão no meio da praça, caminhões de bombeiros e viaturas policiais iam em direção ao desastre, mas algo ainda mais estranho aconteceu em seguida, uma gigantesca nevoa ou fumaça branca começou a sair do local, ela se espalhou rapidamente pela praça até chegar a entrada do shopping, as pessoas começaram a se apavorar temendo ser algum tipo de gás toxico ou venenoso, então todos correrão para dentro em panico, eu puxei Elisa pela mão e entramos.

Todos estavam apavorados em preocupados com seus familiares, minha mãe tentou ligar para meu pai, mas não possuia sinal algum, Elisa me chamou para irmos até o segundo andar e vermos pela janela, fomos e ao chegarmos lá avistamos feixes de luz azuis e violetas bem no centro inicial do evento, eram semelhante a raios mas oque nos intrigou foi um som estrondoso como um ronco de um animal enorme como uma baleia em um sonar, a princípio pensamos ser algum tipo de helicóptero ou aeronave averiguando a situação, mas era totalmente diferente, logo em seguida o tal som passou bem em cima de nós, com se estivesse sobrevoando.

5 minutos depois da neblina cobrir toda a área em que estávamos situados, começamos a ouvir vários gritos de pessoas em panico, todos que estavam no shopping começaram a se assustar e a se perguntar sobre oque estava acontecendo, Elisa agarrou meu braço e começou a falar que estava preocupada com a família dela, ouvimos carros batendo, vidros quebrando e sentimos até alguns tremores, todos até aquele situação estavam em completo panico, nem dava para imaginar o caos que estava acontecendo fora do shopping, chegou uma hora em que um carro descontrolado bateu em uma arvore da rua, o motorista estava desorientado e ferido, ele retornou a consciência, mas estava preso no carro, três homens foram correndo ajudar, a teoria de que poderia ser um gás toxico ou venenoso caiu naquela hora, eles conseguiram tirar o homem de dentro do carro, dois o seguraram pelo braço e o carregaram até a entrada do shopping, o terceiro ficou para trás distraído com algo, um dos outros homens o chamou, mas tudo o ele respondeu foi "M-MAS QUE PORRA É ESS..." logo depois de sua frase ser interrompida por algo, ele foi levantado por algo que era impossível de identificar por causa da nevoa, seus gritos de panico e dor duraram apenas 15 segundos até ele ser calado por completo e desaparecer na neblina, os gritos de panico das pessoas que antes estava descontrolado do lado de fora de repente se tornou em um silêncio profundo, as pessoas que estavam dentro do shopping estavam completamente assustadas e não paravam de chorar ou gritar de desespero, algumas pessoas tomaram uma espécie de liderança temporária da situação dizendo para não entrarmos em panico pois logo o resgate chegaria,

Eu, minha mãe e Elisa, nos abrigamos com os suprimentos em uma loja de colchões, havia se passado 2 horas e meia desde de que o desastre aconteceu, estava tudo até que "seguro". Até que a primeira noite chegou.

...Continua...

Advertisement